quinta-feira, 4 de setembro de 2008

Reflexões

Lembrei do caminho de volta para casa no tempo que eu morava eu São Paulo. Quando eu passava ao lado do metrô Paraíso, já de noite. A ladeira, a descida, o asfalto ondulado, o som do meu carro vencendo aquelas ruas judiadas. Junto com o barulho dos ônibus e o cheiro dos ambulantes no fim do dia, esta é uma das coisas que fazem o inferno do dia-a-dia em São Paulo, mas da qual eu sinto falta.

Quando eu penso nas diferenças entre o Brasil e o Canadá, me costuma vir à cabeça a imagem de uma pessoa bem humilde, sorrindo de orelha à orelha com os poucos dentes que lhe sobraram, feliz da vida com o seu barraquinho ali atrás e os "barrigudinhos" correndo de um lado para o outro.

De certa maneira quando eu penso na minha vida no Brasil eu me lembro deste desdentado sorridente:

- Sou pobre, mas sou feliz!

Não que eu não seja feliz aqui. Eu me considero uma pessoa feliz e estou satisfeito com a vida aqui, embora com saudades da família que está viajando.

Mas é que mudar para o Canadá é como sair de uma vizinhança pobre onde todo mundo se conhece e mudar para um bairro rico e distante, se encaixar em um apartamento novo e diferente, em um lugar onde você ainda não conhece ninguém e onde aquela vida passada parece tão distante - e a única maneira de entrar em contato com os seus amigos de antigamente é indo até um orelhão.

É bom, mas demora um tempo para se acostumar.

Um comentário:

Laura disse...

eu também sinto uma saudade enorme daquele "inferno" chamado são Paulo....