quinta-feira, 18 de setembro de 2008

E Calgary viu uma bala perdida...

Bom.

Ontem eu nem escrevi no blog. Tem uns dias em que eu só quero chegar em casa e ver TV - e, além disso, eu tinha a mesa da sala para pintar.

Acho que já é bem conhecido o que aconteceu aqui em Calgary na noite de Terça-feira. Um estudante Brasileiro, andando no centro da cidade às dez da noite após jantar com a namorada, foi atingido por uma bala perdida disparada de uma arma sacada por alguém que brigava por causa de drogas.
Our Worst Fear

CALGARY - A Brazilian student, strolling downtown Calgary after dining at a restaurant, was shot in the face and blinded in a case of what the city's police chief called his department's worst fear: an innocent passerby caught in growing gun violence involving drug trafficking and gangs.

Calgary Police Chief Rick Hanson said the 24-year-old shooting victim was walking with his girlfriend in the 500 block of Centre Street around 10 p.m. Tuesday when a drug-related fight broke out nearby. Gunfire erupted, and the victim was struck in the face. Hanson said the man will be permanently blinded by the injury.

"Last night, one of our worst fears (as a police service) came true. An innocent bystander was seriously injured as a result of a shooting incident in our city," Hanson said.

That incident was followed by two other shootings within 14 hours in the Calgary area. In the most recent shooting Wednesday afternoon, a man in the southeast neighbourhood of Queensland was shot outside his home and is now in hospital. According to one witness, at least one of the suspects involved in the attack was wearing a ski mask.

Just before midnight Tuesday, police found a man dead outside his home in Chestermere, a lake community just east of Calgary. RCMP Sgt. Patrick Webb said Wednesday that neighbours heard gunshots and, when police arrived, they found a man dead from gunshots in the front yard of a house.

"This was not a domestic shooting and not a random shooting," Webb said. "We feel that it was a targeted attack."

Webb said a witness reported seeing a person in dark clothing run from the scene. Police did not immediately identify the man. Investigators did say, however, that he lived in the home but did not own it. They would not reveal how many times or where the victim had been shot.

Calgary Herald.
http://www.canada.com/calgaryherald/news/story.html?id=3a00690a-286a-467e-a50f-1ea3b5598b77
Está passando na TV agora. Tem outra notícia aqui.

Aqui em Calgary, como eu acredito que em outras cidades do Canadá, existe uma Associação de Brasileiros e os Brasileiros que estão aqui são mais ou menos unidos. Eu nunca fui muito de participar de comunidades ou associações similares, mas de certa maneira eu me sinto orgulhoso de que eles estão agindo com a razão e tentando ajudar o rapaz como eles podem - e a princípio a primeira ajuda é fazer com que a família dele possa vir para o Canadá ou custear a ida dele para o Brasil quando ele puder deixar o hospital. O nome dele é José Neto, mas eu prefiro não me referir à ele pelo nome porque eu não o conheço pessoalmente.

Existe uma idéia de fazer um protesto semana que vem no lugar onde ele foi baleado. O foco do protesto não é o fato de que é Brasileiro e foi baleado, mas sim de que alguém foi vítima de uma bala perdida, um crime impensável em Calgary mas que se tornou de uma para outra uma dura realidade - e que poderia ser uma realidade para qualquer um. Quis o acaso que fosse um Brasileiro e, acredite, nós somos minoria aqui em Calgary.

Eu sempre fui contra este tipo de protesto - não vou mentir. Quando eu via aquelas pessoas passeando de branco no Rio de Janeiro eu pensava "poxa, mas isso não vai mudar nada". Mas eu acho que talvez aqui as coisas sejam um pouco diferentes. Eu espero que se o protesto mesmo acontecer o número de Brasileiros seja minoria - mesmo que sejamos muitos. Eu quero é que lá tenha bastante Canadense e imigrantes de outros países para que a repercussão seja mais focada no valor do protesto em si, e não no fato de que a vítima é um Brasileiro.

Porque o fato de que ele é Brasileiro é importante para a gente. Para a polícia e para a cidade de Calgary o importante é mostrar que a cidade não pode mais tolerar este tipo de coisa. O centro da cidade é realmente uma zona. Aquele abrigo-hotel imenso para os sem-teto que faz com que eles fiquem concentrados em um lugar só é um convite para as coisas descambarem. Os drogados que ficam na Centre Street e na 1 ST SW, perto de onde ele foi baleado, também são outra coisa que não é certa. A Praça Olímpica é um dos poucos lugares de Calgary onde eu não gosto de ir porque eu não me sinto seguro.

É realmente uma pena que isto tenha acontecido. É realmente uma pena que isto aconteça aqui, assim como é uma pena que isto também aconteça no Brasil. O centro de Calgary é uma paisagem magnífica à noite - se eu estiver andando de carro à noite eu vou tentar dar uma passada por lá - mas agora não mais - e é uma pena que as coisas não estejam sob controle por lá.

...

Eu não costumo escrever muito sobre este tipo de coisa. Eu estaria mentindo se eu dissesse que Calgary deixou de ser uma cidade segura. Para mim, ainda é. Mas infelizmente o que aconteceu mostra que existem lugares a ser evitados. E eu não fazia idéia de que este tipo de coisa poderia acontecer ali, a poucas quadras da prefeitura da cidade. Eu me sentia um pouco desconfortável naquela região do centro da cidade.

Tanto é que quando eu podia evitar passar ali, eu evitava. Mas não porque eu tinha medo de bala perdida, mas sim porque tem muita gente louca por lá. Quando eu morei no centro da cidade eu andava a pé por todos os lados e nunca tive motivos para ter medo - apenas desconforto.

Mas a cidade ainda está de pé. E este tipo de crime é uma coisa chocante e cuja repercussão, espera-se, seja duradoura e que faça com que as autoridades tomem uma atitude a respeito.

Um comentário:

Leo Cordeiro disse...

Eh interessante comparar os comentarios que surgem quando um caso de bala perdida acontece no brasil e qdo acontece em ul lugar como calgary...
nao acho que seja hipocrisia qdo o oficial da RCMP diga que "um de seus piores medos se tornou realidade", pois eh exatamente assim que este tipo de acontecimento deve ser tratado, com indignacao e revolta, que depois vao se traduzir em uma resposta seria e eficaz..

o que me assusta eh este tipo de acontecimento ter se tornado comum no Brasil e banal.

Acredito muito que o desenrolar deste acontecimento vai mostrar o quanto um pais organizado e capaz de fazer pelos seus cidadaos.