quinta-feira, 26 de junho de 2008

De vez em quando eu e a Soraya desligamos a TV e ouvimos um pouco de música, principalmente se a gente tiver baixado comprado alguma coisa nova. Ontem a gente ficou ouvindo Cazuza, e uma das primeiras músicas que a gente ouviu foi Faz Parte Do Meu Show, e como a Soraya disse, é uma música que inspira lembranças, mesmo que você não lembre de alguma coisa especificamente. Algumas músicas despertam mesmo este tipo de memória. Eu e a Soraya temos o problema de gostar de músicas de pessoas que já passaram desta para melhor - Cazuza, Cássia Eller, entre outros. Amy Winehouse que se cuide. Na verdade as músicas que você ouve na adolescência vão ser sempre marcantes na sua vida. Especialmente se for música boa e não as "coisas" que aparecem de tempos em tempos. E por coisa exclui-se Claudinho e Bochecha que os dois eram bons.

Bom, falando em lembranças, com a expectativa da Soraya ir para o Brasil logo rever a família e com o "calor" que anda fazendo aqui ultimamente, me deu uma vontade de comer um pastel e tomar uma cerveja gelada que é uma coisa impressionante. Tem que ser um bar com mesa de ferro enferrujada e cerveja gelada em copo vagabundo. Com os bons velhos amigos de sempre. Tem algumas poucas horas que dá saudade do mar. Ou da praia. Tem muita coisa que tem aqui que não tem no Brasil, como as casas sem muros ou um parquinho para as crianças brincarem a menos de quatro quadras de casa, more você onde for. Mas aqui não tem barzinho igual ao do Brasil, infelizmente (quase que sai um Brasil com "Z" agora, pecado mortal). Mesa e cadeiras na rua, tudo misturado com os pedestres, sem muro em volta, é desorganização demais para os padrões Canadenses (é legal ser tudo arrumadinho aqui, mas como diria um Americano falando sobre o Canadá, o povo daqui é muito "anal"). Cerveja não vende em mercado (sacanagem), mas o fato de que aqui os motoristas PARAM para os pedestres compensa alguma das caretices...

Bom, já que eu mudei de assunto mais de uma vez, preciso ver quem é que ganhou a semi-final da Euro Copa e depois vou comprar café. Ganhei dez dólares na loteria e o cavalo Branco de Napoleão era Marrom. E o Michael Jackson, que nasceu neguinho, é branco que nem talco hoje em dia.

Fui!

terça-feira, 24 de junho de 2008

O mundo é muito grande para a gente ficar em um lugar só

Neste ano os meus amigos se esbaldaram. Estão até tão internacionais que eu vou falar o nome e não o apelido. O Raphael e a Alê foram passar umas semanas em Londres, depois foram para Paris e Praga (ou foi o contrário). O Fabrício e a Cí foram passar uma semana em NY já que se o Fabrício tirar mais de uma semana de férias as coisas desandam no trabalho dele - mas eu já disse que se for para vir para cá tem que tirar pelo menos duas semanas. E o Luiz e a Sabrina tiraram quatro semanas de férias - o plano era passar três semanas aqui e uma em NY, mas devido à uma apendicite no meio do caminho o plano teve que ser encurtado.

Opinião unâmine é que Nova York é mesmo sensacional. Eu fui para São Francisco ano passado e achei sensacional, mesmo não tendo nenhum tempo livre (e dinheiro sobrando) para poder conhecer melhor a cidade. O projeto de empresa em que eu trabalho agora tem um escritório em Nova York, mas se tudo der certo eu nunca vou ter a chance de conhecer o cubículo 3 x 4 que eles tem por lá, até mesmo porque o tempo para poder tirar o visto americano aumentou para 8 semanas (era 4 antes), e em 4 semanas eu devo conseguir a minha tão planejada FREEEEEEEEEDOM!!! Em Fevereiro eu fui para Barcelona, a gente quase perdeu a conexão em Nova York por causa do mau tempo - e eu fiquei triste que a gente conseguiu pegar o vôo, porque eu teria uma chance de ver a cidade.

Pois é. O mundo é muito grande (e muito pequeno) para a gente ficar em um lugar só a vida inteira. Eu gosto de pensar que a gente deu o pontapé inicial para os amigos colocarem o pé na estrada (e conhecerem o mundo), mas a verdade é que está todo mundo chegando nos 30 e começa a sobrar um pouco mais de grana no banco. Eu ainda tenho o sonho de ir para a Europa com a Soraya e o moleque e passar umas semanas por lá ou, sonhando mais alto, quem sabe até ir morar por lá? Uma vez fora do Brasil a gente percebe que é mais fácil do que a gente pensa botar a cara a tapa e arriscar morar no exterior. E é legal mesmo ver outras culturas, outras pessoas, outras coisas.

O mais engraçado é que o Canadá é muito diferente do Brasil, as ruas, o fato das casas não terem muros, as mega-lojas e também ouvir cinco idiomas diferentes no trem matinal. Mesmo no Canadá tem alguns lugares que eu gostaria de conhecer com mais tempo, Vancouver, Toronto, Montreal, Prince Edwards Island, entre outros. Pelo menos agora as montanhas eu já posso riscar da lista, embora eu ainda queira viajar pela Icefields Parkway um dia. Viajar é o que há. Eu gostaria de ter viajado mais do que eu viajei até hoje, e espero conseguir viajar mais e mais daqui pra frente.

Divaguei demais!

Fui!!!

domingo, 22 de junho de 2008

Kung Fu PANDA!!!

Depois do post incompleto de ontem, resolvi fazer um curto hoje, pelo menos ele vai ter começo, meio e fim (ou talvez só meio). Bom, hoje a gente foi no cinema ver Kung Fu Panda! E não era qualquer cinema, era o IMAX, com a sua tela que tem a altura de um prédio de seis andares e uma projeção de lasers antes do filme que foi qualquer coisa de sensacional.

O filme conta a história de um Urso Panda que está predestinado a se tornar o Dragão, uma figura mística nas artes marciais Chinesas que é o big master boss mega hiper craque nas artes marciais. Em resumo, o cara é o bicho. Ele fica amigo dos cinco mestres (cinco bichos, acho que é um gafanhoto, um tigre, um pelicano, um macaco e uma cobra), o mestre mor é uma tartaruga e eu não sei qual bicho é o mestre abaixo do mestre mor. Bom, isso não interessa muito :-). O que interessa é que um dos melhores filmes que eu vi nos últimos tempos, mesmo sendo uma comédia e uma animação. A história é interessante, os momentos cômicos são engraçados, os momentos emocionantes são emocionantes, enfim, o filme é bom. Vale muito a pena. De verdade.

Eu e minhas descrições de filmes. Ainda bem que eu não preciso ganhar a vida como crítico, eu ia passar fome. Claro que eu tinha que fazer alguma coisa - no meio do filme, vou beber água e dou uma tossida com a garrafa de água na boca. Voou água nas três fileiras à minha frente. Coitados. Eu pedi desculpa, fiquei vermelho, a Soraya riu, eu acabei rindo baixinho (porque senão alguém ia me matar), mas imagino que situação pior seria só espirrar e voar meleca no cabelo de alguém. Eu odeio quando eu vou beber alguma coisa e engasgo. Meu instinto de sobrevivência imediato é mais forte do que instinto de sobrevivência à médio prazo e sempre voa água pra tudo que é lado.

A parte de cima foi o meio, agora é o fim.

Fui!

sábado, 21 de junho de 2008

Aqui perto de casa...

..tem umas lojinhas interessantes:

Mercado de Produtos Italianos

Operado por alguém da Ásia, mas tudo bem, ela até sabia sobre os produtos que a loja vendia. Fui lá e comprei um salame Italiano (tanta coisa da Itália e eu vou comprar salame). Na verdade comprei 159 gramas de salame, se a balança da mulher estava certo. Mas é bom, parece com o Brasileiro, não é o salame sem gosto que eles vendem no mercado.

Loja de Aeromodelismo

Paraíso de quem gosta de aeromodelismo e de miniaturas, carrinhos de controle remoto e coisas afins. Acho que devia ter uns 20 caras e umas 3 mulheres na loja. Normal. Joguei um simulador de controle remoto de aeromodelismo, dei uma rodada pela loja e fui embora. A loja é sensacional. Tenho um amigo, o Herbinho, marido da Regina, que adora aviões controlados por controle remoto - ele ia adorar este loja.

Loja de produtos médicos

Vende de tudo.

Ahn...

Vou ver um filme. Droga. Não acabei o post.

Fui!

sexta-feira, 20 de junho de 2008

Curtas

Sexta-feira e eu mega gripado (acho que resfriado seria mais adequado) - estava vindo para o trabalho de manhã e dois corvos estavam voando sobre a minha cabeça, conversando um com ou outro em corvorês. Lá pelas tantas eu viro para as dois e grito:

"I am not dead yet, fuckers. Go away".

E eles pararam de me perseguir - ainda bem que eu trabalho no parque industrial, na região mais desabitada da cidade, depois das reservas indígenas e do lugar onde foi a exposição de trem que a gente foi o ano passado, e não tinha nenhuma alma viva na rua para me fazer passar vergonha.

Falando em alma e viva na esquina da rua onde eu trabalho tem uma cruz branca fincada em um jardim, perto da calçada, e sempre tem alguma flor ali. Acho que alguém foi atropelado naquela esquina - bom, eu sei que sempre que eu vou atravessar a rua e vejo aquela cruz, tomo duas vezes mais cuidado. Como a região aqui é um deserto de almas, é bom ter certeza que alguém te viu e que não acha que você é uma ilusão antes de atravessar ruas.

Estou devagar com o blog - ando meio gripado, meio cansado, um pouco ocupado e mais algumas coisas. Hoje eu submeti uns papéis para a imigração para ganhar a minha tão sonhada liberdade (vou escrever no sentido não figurado em breve). Hoje é Sexta-feira também, o que é muito bom, e está um lindo dia de sol - que eu não vou poder aproveitar muito por causa do meu bendito resfriado.

O sol se põe agora só depois das dez da noite. Uma beleza. É impressionante que a temperatura seja de 25 graus no fim da tarde, e que no fim da madrugada tenha caído para seis graus. Nada de dormir na praia aqui (até porque nem praia têm), pois de madruga o frio ia apertar. Acho que deve ser por causa da falta da umidade. Dizem que a água tem um dos fatores isoqualquercoisa mais altos da natureza, e segura a temperatura pra cima quando o ar está frio.

Ontem eu peguei o ônibus dos doidinhos de novo. Tinha um com síndrome de Down, que é bem simpático por sinal, um outro que eu não sei dizer o que têm, um casal que falava Espanhol que estava a um passo de entrar para o clube dos doidinhos, e tinha também uma garota simpática que conversava com os doidinhos, mas que estava muito bonita e arrumada para fazer parte do grupo. Eu gosto dos doidinhos do bumba. Eles são mesmo simpáticos. Eu só não gostava muito de uma loira que era parcialmente doida, mas que se fazia de gostosa e simpática para os outros doidinhos - mas a mulher era chata demais. Eles sempre falam "bye" e "good morning" para todo mundo que sai e entra do busão. Pode ser o contrário também, "hi" para quem vai e "bye" para quem chega - mas eles não são este tipo de doidinho. E eu também falo doidinho porque eu acho retardado extremamente pejorativo e "com necessidades especiais" extremamente rebuscado.

Em frente de casa tem uma casa para jovens com necessidades especiais. Eu nunca conversei muito com o povo de lá, eu dou oi e elas (acho que só tem mulher lá) demoram uns dois minutos para dar oi de volta. Elas devem achar que a gente é piromaníaco pois toda vez que eu acendo a churrasqueira (e eu faço isso toda hora), as chamas tem quase um metro de altura. É bonito de ver.

Que mais? O Kb.Lo e a Sá estão todos chiques em NY, acho que voltam amanhã para o Brasil, a Soraya quer ir para o Brasil em Julho e eu pretendo ganhar na loteria amanhã à noite, são 27 milhões de dólares... História real:

Perguntaram para um carrinheiro o que ele faria se ganhasse na sena, ele disse que ia comprar um carrinho novo para levar as coisas (ou algo do tipo).

Bom.

Se eu ganhasse na loteria eu ia comprar um fone de ouvido novo para ouvir música no meu trabalho. Trabalho!? Trabalhar?! Bom, talvez.

Bom,

fui!!!

domingo, 15 de junho de 2008

Visita Kb.Lo e Sabrina, as fotos!

Parte 1:



Parte 2 (a nossa viagem às Montanhas Rochosas):



Parte 3 (infelizmente, a despedida):

sexta-feira, 13 de junho de 2008

Montes, montanhas e a véia safada

Hoje a gente finalmente teve a chance de conhecer alguns lugares marcantes no Canadá:

Banff e o Banff National Park
Lake Louise
Lake Moraine
Canmore
Rodovias 1A e 1 (Trans Canada Highway)

Foi tudo show de bola - sensacional - só teve uma véia safada que se envolveu em um acidente com o carro que a gente alugou (ainda bem que contratamos seguro). Estava eu a sair da vaga em uma lanchonete - olho para trás e não vejo nada. Engato a ré (olha o trocadalho), vinte centímetros depois todo mundo grita "pára, pára", eu vejo o vulto do carro da mulher passando rapidamente atrás do meu carro e o tranco. Na hora que eu saio, um belo de um arranhão no nosso pára-choque e o pára-choque da perua da Véia quase caindo. Um lanche meio comido no banco do passageiro e a desculpa "é, eu vi você saindo, eu vi que você não me viu, e acelerei para eu passar antes de você dar ré". Véia maldita. Porque não BRECOU ao invés de acelerara? Depois disso toda vez que a gente tinha que dar marcha a ré no carro era brincar e falar "vê se não tem nenhuma Véia acelerando com uma perua velha atrás da gente".

Normal. Foi no começo. O baque da batida só foi passar depois que a gente chegou no Lake Louise (totalmente e absolutamente sensacional). Amanhã faremos o B.O. e eu vou explicar a situação para o guarda e ver o veredito. Como era eu que eu estava dando a marcha a ré, acho que não tem jeito, sou eu o culpado mesmo :-(. Mas faz parte - como eu disse para o Kb.Lo na hora em que ele estava pensando em dizer isto para mim, shit happens!

Escrevi aqui só para desabafar. Toda vez que a gente ficava meio baqueado íamos xingar a Véia s* ****** que acelera ao invés de brecar para evitar uma batida!!!

MAS E O QUE INTERESSA?

Os lugares que a gente visitou hoje são SENSACIONAIS! O Lake Louise é MUITO, mas MUITO bonito. Banff é uma Campos do Jordão de verdade (com frio de verdade e montanhas de verdade). Como o Kb.Lo, se alguém perguntar para a Sabrina se ela já foi à Campos, é só responder "não, mas já fui para Banff, bléééé". O Lake Moraine é maravilhoso (só para boiolar um pouco), a água é incrivelmente verde (ou será azul?), as montanhas em volta são MUITO altas, e o Chipmunk é um bichinho pequeninho que comeu na mão do Kb.Lo (eu tirei fotos também).

Eu vou por as fotos aqui amanhã, se der tempo. Esperamos UM ANO para poder fazer este passeio e fizemos em ótima companhia :-). Fiquei feliz por finalmente termos a chance de poder conhecer uma paisagem diferente e de ver as montanhas de perto. E olha, é MUITO bonito, embora eu tenha achado meio "frio" demais, não pelo fato do frio (e estava um pouco frio hoje), mas por ser tudo muito cinza - é muito bonito, mas é frio na mesma proporção.

Mas é parada obrigatória se você vier até Calgary - e vale a pena.

E o Kb.Lo e a Sabrina puderam ver neve de perto - tudo bem que não era fofinha, era neve velha que ficou no canto de um estacionamento, mas até o Arthur ficou super feliz - é neve mesmo! E a gente ainda pode usar para gelar as garrafinhas de água no balde do Arthur, dentro do carro.

Hoje foi um dia para ficar na memória. E amanhã eu coloco as fotos na Internet.

Fui!

segunda-feira, 9 de junho de 2008

As coisas boas vem em ondas...

Sexta-feira o Kb.Lo chegou! Adiantado ainda por cima, foi ele que esperou a gente e não o contrário.

Voltando do aeroporto, me ligam e me dizem "FREEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEDOM". Não vou entrar em muitos detalhes aqui - mas eu vou contar TODA a história daqui a uns 60 dias.

O final de semana foi ótimo. Infelizmente não deu para alugar um carro no Sábado, mas fomos passear, tiramos várias fotos, o Arthur se divertiu horrores (a gente também), Domingo fomos na SuperStore e o Kb.Lo ficou maravilhado com a embalagem de 1.5 kg de catchup Heinz por 4.50 dólares. Pena que o limão estava 2 dólares - a unidade. À noite fomos no Pizza Hut e foi muito bom também. Tem umas fotos novas na máquina que eu preciso colocar na Internet.

E hoje eu ganhei 88 dólares e cinquenta centavos na loteria. Quatro números de seis. Faltou o 27 e o 29 (foi Quick Pick, a máquina que escolheu os números), mas de qualquer jeito foi uma chance em mil e poucas. Vou comprar o café do pessoal hoje (seis dólares), comprar cinco ou dez dólares de bilhetes para a loteria (acumulada), e vou dar o resto para a Soraya usar como ela quiser :-).

Não é muito, mas as coisas boas vem em ondas. Quem sabe da próxima vez eu não acerto seis números logo?

Fui!

sexta-feira, 6 de junho de 2008

Freeeeedom



Depois eu explico o porquê...

quinta-feira, 5 de junho de 2008

Bumba

Um dos piores bairros da cidade é o Forest Lawn. Outro bairro, Bowness, também não é muito boa coisa (desculpe-me se você, leitor, mora em um destes bairros, mas eu estou usando informações estatísticas e a opinião dos meus colegas de trabalho para dar esta informação). Natural que a linha 1, que liga um bairro ao outro, não fosse muito boa coisa. E não é. Mas que povo estranho que habita estes ônibus. De manhã é o expresso doidinho que vai de um canto para outro da cidade - é engraçado porque eles são super simpáticos, cada um com a sua mochilinha, mas ô povo para falar alto - principalmente quando se quer dormir. Sempre tem uns gordinhos comendo frango frito do KFC nos banquinhos do fundo e vira e mexe você vê refrigerante escorrendo pelo chão.

Fora que no meio do caminho o motorista desce e um outro motorista sobe. Nunca entendi isso, acho que deve ser troca de turno. E na volta sempre tem alguém que não tomou banho de manhã e ficou com o desodorante vencido no fim do dia. E o ônibus está sempre cheio.

Falando em ônibus, já que eu estou com a minha greve branca no trabalho, agora eu desço do trem e espero um ônibus que me deixe mais perto do trabalho (ao invés de andar 20 minutos, ando só 5). É um pouco de preguiça mas nestes dias eu tenho andado bem preguiçoso. Nada como unir o útil (greve branca) com o agradável (andar menos).

Ainda com os ônibus, ontem a gente pegou um ônibus zerinho. Com cheiro de novo, literalmente. Sensacional. Quase não fazia barulho. Em compensação, ninguém sabia como levantar o banco para encaixar o carrinho de bebê.

Eu tiro sarro, mas no geral os ônibus daqui são muito bons. Todos tem banco estofado, suspensão a ar que abaixa a frente do ônibus quando o mesmo chega no ponto, rampa para deficientes físicos, bancos rebatíveis na frente, uma boa parte tem rack para bicicletas na frente e eles costumam ser silenciosos (porque o motor fica na parte de trás, não é que nem aqueles ônibus lazarentos em que o motor fica ao lado do motorista, aquilo devia ser proibido pela constituição).

Bom, vou nessa.

Fui!

Quinta-feira

A semana passou e eu nem escrevi no blog. Tem várias coisas acontecendo e eu tenho andado meio ocupado, então nem dá para escrever muito, infelizmente.

Mas vou escrever mais em breve.

Amanhã o Kb.Lo chega! Hooorray!!!

Fui!

segunda-feira, 2 de junho de 2008

Sabadeira

A gente até que conseguiu aproveitar o nosso Sábado econômico. Acordamos, o Arthur foi brincar com os vizinhos, saímos de bumba, vimos o buraco da construção no centro da cidade, fomos em um "shopping de arte" no centro da cidade, trem, fomos tomar sorvete, demos um tour pela Chapters (que virou mais biblioteca e brinquedódomo do que livraria), voltamos, fui falar com o vizinho, peguei o cortador de grama, aparamos a danada que já andava na altura da canela (em alguns lugares, do joelho), ficamos com fome, liguei a churrasqueira e fiz umas asinhas de frango e umas bistequinhas, o menino comeu um monte, banho, cama.

Tem que aproveitar quando não chove, já que nesta terra São Pedro tem andado mal humorado.

Fui!