segunda-feira, 4 de agosto de 2008

Beta, a missão

Há vários meses, a gente tentou sem sucesso criar uns peixinhos dourados. A única coisa que sobrou deste período foi uma plantinha para aquários, que sobreviveu bravamente até os dias de hoje. E hoje a plantinha ganhou a companhia de um peixe beta, comprado no mix de Casas Bahia com Carrefour daqui do Canadá, o feio, desarrumado, mal cheiroso e com empregados infelizes Wal-Mart (mantidas as devidas escalas, para mim, ir no Wal-Mart aqui é como ir na 25 de Março em São Paulo).

Mas, sejamos justo com o Wal-Mart, os caras são barateiros. O peixe beta custou menos de 4 dólares. É estranho comprar peixe em oferta, mas é um sinal dos tempos - para tudo se faz promoção. E o danado está vivo no aquário que originalmente era um pote de vidro que mais parecia um aquário (mas que foi vendido como pote, e não como aquário, ora pois). O mais legal é como é daqueles aquários redondos, o peixe parece bem maior do que ele realmente é (e eu imagino a nossa cara para o coitado do peixe).

Falando em peixe, estamos cuidando do beta da Cecília e do Antônio (na verdade o peixe é sempre do filho, no caso, o Mateus). Eu também estou cuidando da casa do vizinho, que está fora por um mês. Basicamente, colocar o correio para dentro, alimentar o gato e alimentar os peixes (a primeira coisa que eu pensei foi facilitar tudo e dar os peixes para alimentar o gato). Gato chique, todo dia ganha uma latinha de ração (patê é o que está escrito na embalagem), dá até vontade de comer. Sério. Praticamente caseiro, de manhã tem que deixar o gato sair e à noite o bichano fica esperando na varanda a hora de entrar. O vizinho nos disse para usar o carro dele, se a gente precisasse, durante o tempo em que ele estivesse fora. E a coragem para pegar o carro dos outros?

...

Lembra da Véia Safada? Pois é, vamos (eu e Kb.Lo) ter que pagar. A polícia não decide de quem é a culpa e a conta da seguradora chegou. 300 dólares + GST = 315 dólares. Merda. Mas pelo menos eu acho que os pontos vão para a carteira de motorista do Kb.Lo (ihihihihih), que como não está no Canadá não tem nada a perder (já eu teria que pagar um seguro mais caro no futuro).

Hoje eu fiquei jogando o aviãozinho que eu comprei (de madeira, oito dólares e você monta em casa) com o Arthur, ele até que vôou bem em algumas ocasiões (mais de 20 metros), mas como ele foi montado totalmente fora de balanço e o corte das asas não foi o mais preciso, o seu vôo não foi dos mais suaves. Mas as asas não caíram. Confesso que fiquei surpreso.

Bom, hora de ir curtir a dor de cabeça. Vou tomar um banho quente e ver se ela vai embora com a água.

Fui!!!

Um comentário:

Pai dos trigemeos disse...

...dar o peixe pro gato, depois dar o gato por perdido...a mente humana...pode ter pensamentos maleficos...cruel...depois a explicacao pro vizinho, foi tudo tao rapido, o gato teve um acesso de loucura...nao foi possivel salvar o peixinho...e depois o gato fugiu, com cara de poucos amigos...deu a entender que nao volta...