quarta-feira, 30 de julho de 2008

As pequenas alegrias do dia-a-dia

. Ir dormir tarde, acordar no horário em que eu já devia estar no trabalho, e mandar um E-Mail dizendo "vou chegar atrasado" às nove e meia da manhã;
. Sair de casa com calma, esperar dez minutos pelo ônibus, comprar um café, esperar mais dez minutos pelo trem, mudar de lugar porque sentou uma mulher fedorenta do seu lado, ficar olhando os trilhos do trem e pensar em dez coisas e nada ao mesmo tempo;
. Depois de sair do trem, esperar mais cinco minutos por um outro ônibus, novo, sem nenhuma pintura, que anda sete quadras para me deixar a meia quadra do meu trabalho, que fica a três quadras (cada uma do tamanho de um oceano) da estação de trem;
. Chegar no trabalho e ver a secretária com distúrbio bipolar mal-humorada porque metade da empresa chegou atrasada e a outra metade nem se deu ao trabalho de chegar;
. Ouvir promessas impossíveis do meu chefe (vou te dar casa, comida, carro e nem precisa dar beijo na boca), saber que é tudo mentira mas mesmo assim fingir felicidade;
. Ficar quinze minutos com a bunda na cadeira, colocar o Google AdSense de novo no blog e sair para almoçar;
. Voltar do almoço uma hora e dez minutos depois (mas por uma porta diferente para ninguém poder saber o tempo exato em que você ficou fora), e ficar fazendo a mesma coisa de antes do almoço - mexer no blog, procurar bloopers (video-cassetadas) no YouTube, gastar neurônios na Wikipedia e ocasionalmente mudar uma linha de código aqui e lá;

Assim eu vou virar gerente.

Eu lembrei daquela frase que a polícia tem que dizer aos recém-presos, "tudo que você disser poderá e será usado contra você em um tribunal". Futuros chefes, não se impressionem por estas palavras de ostracismo escritas neste humilde espaço. Situações à minha revelia me obrigaram a adotar a "Lei de Vampeta" (eles fingem que eu pago e eu finjo que jogo), e é por isso que eu adotei esta postura de "Como Enlouquecer seu Chefe" (não viu? veja!).

Outras alegrias do dia-a-dia:

. Assistir três programas ao mesmo tempo na TV ou ver quatro vídeos no YouTube simultaneamente e não prestar atenção em nada;
. Comer o queijo "The Laughing Cow" (o Polenguinho daqui) com o doce-de-leite Argentino que é vendido na SuperStore - o doce-de-leite fica tão escondido que todas as calorias contidas nele são gastas à sua procura;
. Ler o jornalzinho do Metro e ficar prestando atenção nos anúncios horrorosos - e querer mostrar para quem está por perto quando falam alguma coisa do Brasil, mas ficar quieto porque aprendeu a viver em sociedade;
. Chegar em casa como a "forma decadente", tomar um banho e ficar o "Mun-Ra", se bem que isto não é uma vantagem (se você, caro leitor, não entendeu é porque nasceu na época errada);
. Tentar achar algum filme novo na locadora;
. Ler os outros blogs, na sua grande maioria escrito por mulheres (elas escrevem mais e melhor do que nós, parte XY da sociedade), e comentar quando o assunto não é estritamente feminino;

Nota: Quando a Roberta Close era famosa, a peãozada da Cosipa comentou que ela ficou bonita e que namorava (para não usar uma linguagem chula). Quando me perguntavam, eu dizia "olha, ela pode ser até mulher por fora, mas na sua essência ela ainda é XY e não XX" - na época as aulas de biologia ainda estavam bem frescas na memória;

PS:
. A Dercy Gonçalvez morreu - 101 anos - li uma frase engraçada, criada antes dela morrer - "a esperança é a penúltima que morre".

Bom, por hoje é só, pessoal.

Fui!

6 comentários:

Ana disse...

Adorei!
1) Mun-ra! hahahhaa... bons tempos!
2) Doce de leite - ja achei no Superstore tb. Dia desses tava bem na porta, promocao.

Nao sabia que a Dercy tinha morrido... essa durou bastante tambem, ne?

Ravi disse...

Ana:
Meu desenho preferido ainda era o Caça-Fantasmas! Mas eu também gostava do He-Man (e eu sempre quis saber porque este nome).

O doce-de-leite é ruim de achar mas vale a pena. Fiquei mó feliz quando eu vi a propaganda pela primeira vez na televisão.

BTW, parabéns pela gravidez (sete meses) e pelos sete anos de casa, tudo acontecendo no mês sete do ano.

Mariana disse...

Poxa, Ravi... já temos inveja de quem está por aí e vc tortura ainda mais falando do seu trabalho... como é isso? Tem alguma open position? Até podemos repensar o destino e ir pra Calgary ao invés de Vancouver!!

Abraço,
Mariana

Ravi disse...

Mariana:

É como se fosse viajar o tempo inteiro a trabalho - no começo é legal, mas depois você não aguenta mais! Eu quero é trabalhar em uma empresa de verdade, com janelas e metas!

Fui!

Valmir Larangeira disse...

He-man é novo. Sou da época do super dinâmo.
Beleza aí brother ?

Ravi disse...

Faaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaala Varmi!
Há quanto tempo! Tá tudo em cima aqui. Verãozão, hoje eu brinquei de guerra de água com o Arthur em frente de casa e dei uma cortada na grama (na verdade eu cortei a grama e depois brinquei com ele). Está tudo ótimo.
E a Spring, aquela máquina de fazer malucos, como é que vai?