terça-feira, 28 de outubro de 2008

Novas (novas, curtas, shorts, é tudo a mesma coisa)

Pois é, não tenho escrito muito no blog. Pelo menos não no mesmo ritmo de antes. Tudo culpa do trabalho, este velho conhecido que resolveu dar as caras por estas bandas. Agora que eu tenho tarefas, metas e prazos, fica difícil gastar 50% do meu dia navegando na Internet, 30% dormindo e 20% escrevendo no blog.

Tudo bem, faz parte.

Pois bem, hoje lá estava eu fazendo a minha contribuição para o efeito estufa no banheiro menos privado da face da Terra, quando ouço alguém entrando e barulhos de saco de lixo velho sendo retirado e novo sendo colocado. Sem entrar em detalhes técnicos, acabo o que eu tenho que fazer, abro a porta do meu cubículo azulejado e lá está a faxineira SAINDO do banheiro.

Ninguém merece.

Bom, passado o susto vou lá tentar escovar os dentes, e CADÊ A ESCOVA? Por motivos higiênicos mais do que óbvios, eu deixo a escova de dentes junto com a pasta na PIA quando vou dar minha opinião sobre a reciclagem de materias biológicos, bem enroladinha no papel toalha que eles deixam no banheiro para a gente secar as mãos. Presumo eu cá com meus botões que a faxineira olhou aquela trouxinha de papel amassado na pia e, sem saber que existem pessoas que escovam seus dentes após o almoço, pensou "É LIXO", e para o lixo minha escova foi. Junto com um restinho de pasta de dente que ainda ia durar umas duas semanas.

Por uns poucos segundos eu ainda pensei em ir falar com a faxineira, mas aí pensei no que eu ia falar e também que não ia ser bonito eu fuçando o lixo de um banheiro, e depois eu fui além e concluí que mesmo que eu achasse meu kit higiene bucal eu não ia querer usá-lo já que a parte que diz respeito à "higiene" poderia não ser mais verdade.

Coisas da vida.

Hoje eu fui cortar o cabelo. Fui no Marlborough Mall, o shopping dos manos de Calgary. Antes de ir cortar o cabelo, fui encher a barriga em um restaurante Chinês que tem por lá. Eles tinham um pastelzinho que eu posso quase que garantir que tinha Catupiry. E camarão. Ainda bem que meu sexto-sentido é forte e eu pedi 4 de uma vez. Como diriam em Minas, b'm d'mais. Depois, de barriga cheia, fui aparar a juba na cabelereira Chinesa. Muito simpática, por sinal. Só fiquei assustado quando ela me perguntou se eu queria "jail" e eu falei "não, obrigado" (jail é prisão em Inglês), mas no fim ela queria é oferecer "gel". É bom que eu esqueço que eu tenho sotaque. Ela ainda me disse "você tem um monte de cabelo", e eu disse "pois é, só na parte de trás da cabeça", e depois eu ainda tive que ouvir a minha tiração de sarro ser devolvida para mim umas duas vezes - "ih ih ih, você tinha um monte de cabelo, mas só na parte de trás da cabeça".

Falando em sotaque, ontem a gente foi almoçar no "desert", um restaurante com um dos nomes menos apetitosos já inventando, quando o Mike, dono do produto onde eu estou trabalhando (tecnicamente falando), disse que tem uma filha de um ano que aprendeu a andar semana passada. Fui lá eu perguntar qual era o nome dela, e ele me disse "Ella", e eu entendi "Ela", e eu disse que era "She" em Português, e ele entendeu que era "Sheep" (ovelha), e fez uma cara de "well, whatever", e eu me corrigi e disse que era "She, a esposa do He", e ele entendeu, e me disse que era "Ella" e não "Ela", e eu disse que então não tinha significado nenhum em Português, mas aí o Jeremy, que passou um ano na América Latina, disse que "Ella" era "She" em Espanhol e eu fiquei feliz que a confusão não recomeçou.

Depois de reler o parágrafo acima, com profusão de vírgulas mas com poucos pontos finais, me lembrei daquela musiquinha que toca em corridas de cavalo. A moral da história acima é que se "Ela" realmente significasse "Ovelha" em Português eu não ia dizer nada. E se eu por acaso dissesse que algum nome é algum animal eu provavelmente destacaria as boas qualidades daquele animal e voltaria para o trabalho a pé.

Well, well, well. Preciso ir ver se o meu arroz parbolizado está pronto.

Qualquer coisa escrevam comentários.

Fui!

3 comentários:

Pai dos trigemeos disse...

Ravi,
a parte do post sobre a escova de dentes deveria se chamar 'invasao de privacidade em espaco publico'. So entre nos, em Calgary, ate em banheiro de parque eu dei minha opiniao sobre reciclagem de residuos solidos. Como voce disse, coisas da vida.
Agora, Ella so fica bonito com Fitzgerald depois.
abracos.

Anônimo disse...

Bah, Ravi mas como tu faz tuas refeicoes na rua, hein?!!!$$$$
Nao vais me dizer que tu ainda nao entrou no estilo canadense de levar "lunch bag" para o trabalho?
Bem, aqui em London, Ontario, comer fora eh caro!!! E nao temos muita opcao...Soh fast-food...
Eu que gostaria de ter mais opcoes de comida por aqui... na verdade o que eu queria mesmo e uma comidinha do Brasil...

Um abraco gauderio,

Claudia de London

Ravi disse...

Oi Octávio, Oi Cláudia!

Nossa, Cláudia, eu sabia que você tinha escrito alguma coisa mas eu não lembrava o que era. Que coisa. Me desculpe.

Octávio, não brinque. Onde já se viu? Ainda mais os banheiros daqui que sempre tem uma fresta de mais de um centímetro na porta.

Cláudia, aqui eu gasto qualquer coisa entre oito e dez dólares por almoço. Não é muito barato mas é a minha "fuga" diária que eu não troco por nada, como praticamente TODOS os meus colegas vão almoçar fora não é algo que destoe do grupo. E é almoçar fora mesmo, com direito à comer no restaurante (ou shopping ou similares) e às vezes até um cafezinho depois.