sexta-feira, 17 de outubro de 2008

. Eu queria ir em um show do Chico Buarque ouvir as músicas que ele provavelmente não gosta mais de tocar

Construção

Amou daquela vez como se fosse a última
Beijou sua mulher como se fosse a última
E cada filho seu como se fosse o único
E atravessou a rua com seu passo tímido
Subiu a construção como se fosse máquina
Ergueu no patamar quatro paredes sólidas
Tijolo com tijolo num desenho mágico
Seus olhos embotados de cimento e lágrima
Sentou pra descansar como se fosse sábado
Comeu feijão com arroz como se fosse um príncipe
Bebeu e soluçou como se fosse um náufrago
Dançou e gargalhou como se ouvisse música
E tropeçou no céu como se fosse um bêbado
E flutuou no ar como se fosse um pássaro
E se acbou no chão feito um pacote flácido
Agonizou no meio do passeio público
Morreu na contramão atrapalhando o tráfego

Amou daquela vez como se fosse o último
Beijou sua mulher como se fosse a única
E cada filho seu como se fosse o pródigo
E atravessou a rua com seu passo bêbado
Subiu a construção como se fosse sólido
Ergueu no patamar quatro paredes mágicas
Tijolo com tijolo num desenho lógico
Seus olhos embotados de cimento e tráfego
Sentou pra descansar como se fosse um príncipe
Comeu feijão com arroz como se fosse máquina
Dançou e gargalhou como se fosse o próximo
E tropeçou no céu como se ouvisse música
E flutuou no ar como se fosse sábado
E se acabou no chão feito um pacote tímido
Agonizou no meio do passeio náufrago
Morreu na contramão atrapalhando o público

Amou daquela vez como se fosse máquina
Beijou sua mulher como se fosse lógico
Ergueu no patamar quatro paredes flácidas
Sentou pra descansar como se fosse um pássaro
E flutuou no ar como se fosse um príncipe
E se acabou no chão feito um pacote bêbado
Morreu na contramão atrapalhando o sábado

2 comentários:

Elaine Bittencourt disse...

Seria demais neh? Olha, faz muito tempo que nao escuto Chico Buarque, nem em CD... pode uma coisa dessas?

Olha, queria te falar que ontem a noite assisti o Into The Wild. Meu filho mais velho, o Vinicius, eh bem como aquele cara, se pudesse queimava dinheiro, largava tudo, e ia viver no meio do mato.

O filme eh 10+, e vale a pena assistir as special features tambem.

Fernando Brito disse...

Nossa!

Minha irmã estava comentando um dia desse essa música. Realmente é muito legal o jogo que ele faz com as palavras ao longo da música.

Abraços