quarta-feira, 20 de fevereiro de 2008

Immigrants

Quando eu estava na Espanha eu sentia que meu Espanhol não ia muito bem quando eu perguntava (ou respondia) alguma coisa em Espanhol, e a resposta era uma cara fechada (que diz "como você não fala a minha língua?") ou então era falada em Inglês, o que aconteceu inúmeras vezes devido à minha cara de gringo e ao fato de eu estar com meu bronzeado de inverno Canadense. Teve um taxista que pareceu particularmente irritado quando eu tentei ensinar o caminho para a casa onde a gente estava com o meu Portunhol meia boca. O seu grunhido significou "como assim você quer me ensinar o caminho na MINHA cidade, no MEU taxi (um belo de um Audi), falando este Espanhol FAJUTO?". Pois é.

Mas também teve um senhor e uma senhora no trem que foram super simpáticos comigo. Um cara do trabalho que estava comigo ficou boiando na conversa, mas fazer o que? Voltando à Espanholada, eles me disseram que o meu Espanhol era totalmente excelente, que o trem era de graça (a propósito, o trem era de graça) por conta de umas obras de melhoria que estavam causando transtornos para a população. Para o povo não ficar descontente, fizeram o trem grátis. A gente também conversou sobre mais uma dúzia de coisas, o senhor explicou para a senhora sobre como era frio no Canadá e como era uma terra bem despovoada, que existiam territórios imensos sem uma alma, e poraí vai. Perguntei se tinha muito Brasileiro na Espanha, e eles fizeram a mesma cara que alguém faria se eu perguntasse se tinha muita água em um Oceano. Pois é. Tem mesmo.

Os dois primeiros Brasileiros que eu encontrei estavam com maquiagem de zumbi em um supermercado no centro da cidade (Carrefour). Acostumado à escassez de compatriotas de Calgary, fui todo feliz falar "ehhh, eu também sou Brasileiro, que legal", e eles fizeram uma cara de "legal - mas e daí?". Depois de andar mais um pouco pela cidade e ver que a segunda ou terceira língua mais falada é o Português, percebi que eu devo é ter feito um belo de um papel de bobo comemorando ter encontrado outros Brasileiros. É o que mais tem por lá mesmo depois dos povos que falam Espanhol (porque tem muita gente da América do Sul em Barcelona).

Mas a impressão que eu tive mesmo é que o Canadá "adota" mais os imigrantes do que a Espanha. Pode ser uma impressão, pode ser verdadeira ou não, mas pelo menos em relação à língua o pessoal daqui parece ser muito mais relaxado do que o Espanhol. Até porque o Canadá é mesmo uma terra de imigrantes, um lugar novo formado e mantido por pessoas de todo o mundo, em ondas de imigração diferentes em épocas diferentes.

Ixe, estou divagando. Sinal de que é hora de ir dormir. A gente está vendo "Across the Universe" agora e tem um zilhão de músicas dos Beatles. Da hora. Agora eu vou para o meu canto. Ave Canadá, Ave Espanha, Ave Brasil.

Fui!!!

3 comentários:

Anônimo disse...

blz Ravi, td bem?
faz tempo que nao teclamos
e ai blz
seu blog é manero.
meus parabens
se cuida

piazza

Sergio e Marilena disse...

Olá Ravi,

acho que nunca comentei aqui mas sempre estou lendo. Eu concordo com vc quanto ao Canadá adotar mais os imigrantes e acho que não é só na Espanha que eles não gostam de imigrantes; acredito que toda a Europa seja meio "preconceituosa" em relação a quem vem de fora. É interessante que mesmo precisando de mão de obra e mesmo tendo suas populações diminuindo, eles não aceitam os estrangeiros. Ainda estamos no Brasil mas imagino que vamos encontrar um ambiente bem mais receptivo no Canadá.
Parabens pelo blog; gosto muito dele.

Marilena

Ravi disse...

Sérgio e Marilena:

Pois é, igual ao Canadá, acho que não tem mesmo. Todo mundo aqui é imigrante e ninguém liga mesmo se o Inglês não é 100%.

Obrigado pelo apoio ao blog!

Fala Piazza!