domingo, 20 de dezembro de 2009

Up in the air

Up in the air (Amor sem Escalas no Brasil, eu odeio o que eles fazem com os títulos dos filmes) é o nome do filme que estréia George Clooney como o funcionário de uma empresa de consultoria especializada em demitir pessoas - basicamente, ele viaja pelos Estados Unidos para demitir funcionários de uma maneira mais "humana" ou simplesmente para tirar esta obrigação do chefe do novo desempregado.



Eu nunca consigo passar para o "papel" o porquê de eu achar um filme bom ou ruim - eu sempre fico com a sensação de que eu consigo lembrar um milhão de motivos, mas tudo se resume à isto:

- O filme é duca.

É um filme de "pessoas", baseado em diálogos, situações, relações. George Clooney interpreta uma pessoa sozinha, mas não solitária, que de uma hora para outra quer criar uma conexão com outra pessoa parecida com ele. Ele é uma daquelas pessoas que sabe o que faz profissionalmente - como se fosse um "conselheiro" que não parece um robô. A virada do filme acontece quando uma garota mais nova, bem intencionada e com energia para mudar as coisas aparece em cena, mas ela é uma daquelas pessoas que "seguem o manual" tão a finco que você se pergunta "tudo bem, você está aqui, mas não é muito diferente de ouvir uma gravação". E o filme é tudo isso e todo o resto.

Eu acho que foi um dos melhores filmes que eu vi este ano, senão o melhor. Sensacional.

...

Eu achei que o shopping fosse estar absurdamente cheio e que ir no cinema no último Domingo antes do Natal fosse uma coisa insana, mas até que o cinema não estava tão cheio, dava para andar no shopping e eu consegui parar o carro em uma vaga boa sem precisar circular pelo mesmo lugar 5 vezes. Acho que todo mundo já comprou os presentes que tinham que ser comprados, e o Domingo foi para descansar mesmo.

...

A única coisa ruim de ver um filme sobre pessoas solitárias é que a saudade da família aperta mais. Eu tenho dormido bastante nos finais de semana, e isto me fez pensar que eu preciso ter um pouco mais de energia, principalmente nos dias de inverno. Acho que é chegada a hora de eu balançar um pouco a pança e começar a fazer mais exercícios, ser um pouco mais ativo. O problema é que o frio é foda.

Eu sei que eu já xinguei o frio bastante - mas sabe quando você fica do lado de fora e sente aquela brisa fresca bater no rosto, vinda do mar, do campo ou de onde quer que seja? Então, de Outubro à Abril, esta "brisa" faz o nariz escorrer. Em Janeiro e em Fevereiro, esta brisa pode fazer o seu nariz literalmente cair. Eu agora já me visto melhor do que antes (é engraçado que eu só tenha aprendido a usar o cachecol de forma efetiva recentemente, antes eu precisava de 3 apetrechos para substituir o cachecol, agora só preciso de um), já aprendi a lidar com o carro, entendi que na casa é um "tire ou dê" (give or take), se a casa fica muito quente o ar fica muito seco, mas a opção é deixar a casa muito fria - quem sofre é o Beta, que fica com o metabolismo baixo (porque a água do aquário fica fria), e a ratinha (Gerbil), que literalmente fez uma toca na casinha dela.

Bom, hora de cuidar do estômago (hora de encher a barriga).

Vou tentar aparecer aqui com mais frequência.

Fui!

2 comentários:

César, Valéria, Lara e Anaclara disse...

Tenho lido que esse filme é um dos favoritos pro Oscar ano que vem. Estamos no aguardo para assistí-lo.

E a vida segue...

Projeto Canada 2012 disse...

Vou assintir esse filme tb.
Frio deve ser complicado mesmo hehe mas o importante e não desanimar e sempre sair de casa se não complica.

Tudo de bom!