terça-feira, 22 de dezembro de 2009

Sean go home

Acabou o caso do menino Sean. Bom, se o presidente do Supremo Tribunal Federal disse que ele tem que ir com o pai, acho que nem o meu amado Presidente da República poderia dizer o contrário.

Ainda bem que ele não pode - até expulsar jornalista do Brasil ele já expulsou.

Existe a lei.

Existe o pai.

Existe a mãe que levou a criança embora e pronto, o pai que se exploda.

Existe o direito de guarda do pai - já que existe a lei - e nunca foi escolha do pai que o filho fosse levado embora.

Existem poucas coisas na vida que são mais simples do que isso. Eu não entendo como um juiz que estuda a lei veta uma decisão baseada em lei - se eu fosse o chefe dele, para mim é que não ia trabalhar - de que vale um juiz que não sabe julgar?

Eu literalmente fico de queixo caído...

... com o povo do Rio fazeando passeata para que o menino fique no Brasil (mas eles achem que fazer passeada de branco vai tirar os traficantes do morro, vai saber?);
... com juiz ignorando a lei;
... com o Lula (eu sempre falo mal dele quando tenho a chance, eu não gosto daquele barbudo);
... com isso tudo! Peloamordedeus, isso é um absurdo. É hipocrisia, simples e pura.

Não é porque os Estados Unidos é pior ou melhor do que o Brasil (tudo é uma questão de perspectiva), é porque ele o PAI e fim das contas.

Espero que a justiça continue a prevalecer amanhã.

Fui!

8 comentários:

Dani e CM disse...

Tambem espero e estou com a lei, ou seja, a favor do pai.
Chegou ao ponto do ridículo. As manifestacoes para que fique aqui etc, oras...colocaram asneiras n cabeca da crianca (isto eh alienacao parental, no caso a avo mesmo deve ter colocado 1001 porcarias contra o pai).
A crianca foi sequestrada, nao tem outra explicacao.
Agora ridiculo eh tbm algumas emissoras sutilmente fazerem campanha pra crianca ficar aqui.

Espero que desta vez a justica seja cumprida

Danielle

Igor (Projeto Canada 2012) disse...

Eles fazem campanha para o menino ficar no BR porque não se colocam no lugar do pai ...
Fico imaginando como está a cabeça do menino a essas alturas

César, Valéria, Lara e Anaclara disse...

Espero que finalmente essa novela tenha acabado. O lugar do menino é com o pai. Chega de sofrimento pra essa família.

E a vida segue...

:) Família Feliz :) disse...

Fico impressionada com a capacidade do brasileiro de fazer a Lei à sua conveniência, se é bom pra mim, vale, se não, vamos rasgar a Lei.
Em que lugar do planeta um filho de pai VIVO, de mãe morta, subtraído dele ilegalmente, a sua revelia; pode ser entregue a adoção de terceiros sob a luz de um processo judicial internacional que visa a restituição da guarda do filho ao pai, que é o único autorizado pela Lei a exercer este Direito?
Quem souber... estamos falando de Estados democráticos, livres e soberanos...
Cristine

Pai dos trigemeos disse...

A questao vai muito alem de uma contenda entre dois paises e suaas leis. O Brasil desrespeita a Convencao de Haia, em que o assunto sequestro de criancas foi assinado por mais de 100 paises.
O Brasil desrespeita um acordo internacional. E o que a mae fez foi praticamente sequestrar o filho.
Imagino o desespero do pai...Sean, go home, please!

Eliane disse...

Oi Ravi,
a desrespeito vai muito além, soube há um tempo atrás que o padrasto é filho de uma família de juristas, os pais da mãe da criança são pessoas influentes no Rio de Janeiro, ou seja acreditaram na impunidade e quiseram fazer valer a lei que já conhecemos no Brasil, acredito que por isso essa estória se arrastou por tanto tempo. Buscando meandros na lei e com a colaboração de alguns juízes brasileiros, deixando o tempo passar e as coisas ficarem piores. Acho que agora tudo está como deveria ser.
Bjkas, Eliane

Anônimo disse...

Também acho que deveria ficar com o pai, mas ainda vem aquela questão: Será que o Sean ficou com o pai por interesses do governo brasileiro? Havia uma retaliação comercial dos EUA contra o Brasil por causa desse caso, e lembrem-se que antes a decisão era favorável à família brasileira e uma decisão do STF só sairia em fevereiro.
Achei muito estranha essa mudança repentina.

Juscelino Maciel disse...

Fico muito contente com esse post e esses comentários a respeito do caso Sean. Eu já estava revoltado pensando que nenhum bloguista iria comentar o caso... ainda bem que encontrei esse blog e concordo com tudo que foi dito e comentado aqui, até mesmo porque na reportagem vi que a familia de juristas da parte do padrasto é especializada na vara de família e usam uma técnica que é tipo "lavagem cerebral", de tanto falar que o pai não presta e que fez coisas erradas, a criança acaba por perder o amor e o respeito por ele... acho que era assim, a reportagem. Está de parabéns o deputado que acompanhou o pai de Sean durante todo o processo re "reestradição" da criança até a volta para os braços do pai. Vocês já viram algum deputado brasileiro se levantar do seu "trono" para acompanhar algum brasileiro em um caso internacional? eu não vi. Abraços Davi at