terça-feira, 17 de março de 2009

Hoje foi o segundo dia no emprego novo - e a diferença principal em relação ao primeiro dia é que eu consegui de fato trabalhar. Esta empresa, pelo que eu percebi, é um pouco mais parecida com os lugares no Brasil onde eu trabalhei - mais focada em resultados, um pouco zoneada, algumas pessoas reclamando de excesso de pressão (mas nada que me preocupe - ainda), com algumas pessoas muito competentes e outras, nem tanto. É diferente da Call Genie onde eu achava o povo mole demais - da mesma maneira que é ruim demitir à torto e à direito também é ruim manter um Zé ganhando mais do que você e fazendo a metade - não é bom para a moral do resto dos funcionários.

Mas, venhamos e convenhamos, nestas 16 horas que eu passei por lá eu já consegui aprender algumas coisas novas e já esqueci algumas outras também, como uma maldita senha para acessar uma base de dados que eu não anotei em lugar algum. Como nas empresas do Brasil, não rola Messenger, Skype ou Google Talk (eu usava os três na Call Genie), o que é bom e ruim - não rolam interrupções, mas eu me sinto meio "desconectado do mundo" hora ou outra - acho que eu estava é mal acostumado.

Acho que a experiência vai ser interessante - mas daqui a um ou dois anos, quando eu mudar de emprego de novo, vou querer ir para uma empresa que crie produtos, que tenha prazos realistas e metas folgadas, em um escritório nota 10 com almoço grátis todo dia e vista para o mar. Para que sonhar pequeno?

Mas estou bem - na primeira semana na Spring eu quebrei 3 copos, na 7COMm, depois de algum tempo de casa, quebrei um galão de 20 litros de água que quase inundou o andar onde a gente trabalhava, na Interchange eu praticamente desliguei o servidor que era usado por 100 pessoas, na Cosipa eu tomei choque e me arranhei inteiro quando fui tentar segurar um armário que ia cair no chão (e que acabou caindo, no fim das contas), na GoLemur eu não fiz cagada nenhuma mas a empresa inteira foi uma cagada, e na Call Genie foi tudo mais ou menos azul. Eu acho.

Eu não sei porque, mas eu tenho a impressão de que pelo tempo que eu estiver no Canadá, eu não vou ficar mais do que um ano no mesmo emprego. A gente tem que ter incerteza em alguma coisa nesta vida, ó pá!

Vou lá terminar de ver o Senhor dos Anéis.

Fui!

4 comentários:

Rachel Ripardo disse...

Olá!

nossa, eu rio tanto lendo seus posts!
quero mandar um bom começo de trabalho para vocêe desejar dias mais quentes!

Pai dos trigemeos disse...

Ravi,
eh bom ter empregabilidade, garante as possibilidades de mudanca, de emprego, de cidade, de pais...quem sabe de planeta, um dia...
abracos
Octavio

Soraya Cruz Wallau disse...

Rá, vc é um arraso, e quebra tudo, literalmente! hahaha. Bjinhos

Criska disse...

Que raios de trabalho é esse em que se pode ler Senhor dos Anéis?