segunda-feira, 30 de maio de 2011

Um capítulo que se fecha

Olá amigos da rede Globo. Como vocês já sabem, a Soraya, a Hannah e o Tutú estão voltando para o Brasil em aproximadamente vinte dias. Eu estou procurando emprego em Campinas, com o plano B (São Paulo) engatilhado. Eu devo voltar em dois meses, no começo de Agosto. Eu preciso achar um lugar para passar o mês de Julho, eu vou ver se consigo alugar algum porão por este tempinho.

Pois é.

Quatro anos.

Vimos e revimos as estações do ano de Calgary. Aprendemos que aqui a Primavera chega no final de Maio e o verão é só em Julho mesmo. O transporte público daqui funciona relativamente bem para uma cidade tão espalhada. As ruas são muito bonitas e a explosão de vida no Verão em um lugar onde o Inverno dura bem uns 6 meses é algo que eu nunca vi em nenhum outro lugar. A gente experimentou e gostou do sistema de saúde daqui (a Hannah é Canadense), viajamos bastante pela região (e neste final de semana vamos levar meu irmão, Rodrigo, com a sua esposa, Cristiane, até as montanhas rochosas), conhecemos os arredores de Calgary nas quatro direções. Fomos até Montana, até as Rochosas, até Edmonton (parece Calgary, mas a gente foi em uma época do ano em que tudo é cinza, acho que hoje a impressão ia ser diferente), fomos até Drumheller e chutamos o balde e fomos de carro até Vancouver e quando a gente chutou mesmo o balde levamos a van vermelha até Seattle, Portland, e mais um monte de lugar.

Neste último feriadão tivemos a chance de viajar de RV (motorhome) e foi muito legal. É caro, mas vale a pena para fazer de vez em quando. Eu tentaria fazer todo ano se a gente fosse ficar aqui, ou, melhor ainda, eu ia tentar comprar um daqueles pequenos que dá para rebocar no nosso carro mesmo.

Conselhos? Deixa eu ver... Eu gosto do pacotão da Shaw para Internet, TV e telefone mas tem gente que acha caro. Eu prefiro usar o telefone ao invés do Skype e eles tem 1000 minutos de ligação internacional no plano de telefone de 60 dólares, e a gente usa bastante.

Dá para comprar carro por 1000 dólares no Kijiji, só tem que tomar um pouco de cuidado porque se o carro tiver mais de 12 anos de idade é obrigatório passar por uma inspeção - pára-brisa rachado de lado a lado, pneu careca, escapamento furado, tudo tem que trocar.

calgary.kijiji.ca - ótimo para comprar coisas usadas. Bicicleta, churrasqueira, poltrona, carro, o que puder ser vendido eles vendem neste site.

A Ikea é ótima para comprar móveis modernos, baratos e, dependendo da escolha, duradouros. Tem muita gente que ama e tem muita gente que prefere a Sears ou o The Brick. Eu particularmente adoro a Ikea. Onde mais dá para comprar uma luminária de papel por 6 dólares?

Coisas que eu não sabia mesmo antes de chegar aqui:

. Que você não precisa andar a pé se você tiver 1000 dólares (ou até menos) para gastar em um carro;
. Que passe de ônibus vende em tudo que é canto;
. Que JCT nas placas é Junction e que XING é Crossing (para pedestres);
. Que eu ia colocar gasolina no carro eu mesmo;
. Que tem depósito de segurança (1 mês de aluguel adiantado que deve ser devolvido no final do período do aluguel) na hora de alugar a casa;
. Que utilities custam 300 ou 400 dólares no inverno;
. Que chuveiro elétrico é uma m* comparado aos chuveiros daqui.

Aqui os eletrônicos são mais baratos do que no Brasil e no geral as coisas são mais baratas (o poder aquisitivo aqui é maior). O Canadá é bem mais seguro do que o Brasil (e mais do que muitos outros países de Primeiro Mundo), as casas aqui são todas bonitas e não tem criança de rua nem favela igual ao Brasil. Aqui em Alberta existe muito respeito à vida selvagem (natureza em geral), mas o povo gosta de carro grande. Para a nossa família as desvantagens daqui são basicamente o clima frio e o fato de que a família e os amigos de mais longa data ficaram no Brasil. A gente fez bons amigos aqui mas a gente sente falta dos nosso amigos de lá.

E é isso por hoje.

Fui!

5 comentários:

Jujuba, 23 anos disse...

É assim mesmo.. quando saímos do Brasil pro Canadá vivemos em encantamento, mas a saudade é tremenda e quando voltamos para o Brasil a falta daí é enorme!!

Paola Tavares Silva Wortman disse...

ravi, otimo post.
tenho certeza que as coisas darao certo pra vcs no brasil. e uma pena que nao teremos a oportunidade de nos conhecermos ... desejo a vcs muito sucesso e saude, onde quer que estejam.
beijos e abracos p/ os 4!

Marina Quico e Alice disse...

Oi Ravi,
Fiquei triste só de pesnar que esse email é quase uma despedida... Nos conhecemos há tão pouco tempo e ficamos triste de não termos mais um tempão para estreitar a amizade. Quem sabe um dia voltem, né? bjins. Marina

tati e os meninos disse...

Que engraçado Ravi! Vocês vindo pra Campinas e a gente pensando em sair daqui pra ir pra Calgary. Acompanho teu blog tem um tempão (dica do Octávio). Estamos aguardando pedido de exames médicos (processo federal).
Sim, temos medo do frio. Mas temos que matar essa curiosidade e o gostinho de quero tentar que Calgary deixou em nós.
Boa sorte vindo pra cá.
tati e os meninos

Izzy Nobre disse...

Por que você tá voltando pro Brasil, cara?